Um pouquinho de hipocrisia

Adele veio para virar a mesa mesmo. Numa época onde os ícones pop estavam cada vez mais obcecados em estampar os corpinhos “perfeitos” nas revistas e se cobrir de purpurina, Adele ganhou o jogo enquanto ninguém olhava.

Ela não estava tentando muito, ou parece que não estava. Com maquiagem clássica, roupas discretas, Adele está sempre linda nos tapetes vermelhos e se destaca com sua classe. O mundo da moda passou a acolhê-la como uma It Girl, e aí ela começou a aparecer nas bancas.

Adele é uma plus size bem resolvida, daquelas que as mulheres precisam conhecer. Quando só se vê um tipo de corpo sendo reverenciado pelas revistas, as meninas crescem e se convencem de que é aquele corpo que precisam ter.

A diversidade de formas das modelos da moda possibilita que em algum tempo o mundo julgue menos as mulheres que não vestem manequim 38, e principalmente, elas mesmas parem de se julgar.

Adele na Glamour Magazine e Rolling Stone

Talvez nem seja esta a bandeira da Adele, mas gostaria que ela estivesse sendo melhor usada pra isso. Quase todas as capas de revista com Adele, tem uma foto de Close do seu rosto. Não estamos falando da revista Allure – famosa por suas capas de close, mas todas as revistas, preferem dar capas de rosto para Adele.

É uma questão de costume. Quando a modelo magérrima Twiggy surgiu nos anos 60, ela tinha o corpo diferente do padrão de beleza curvilíneas como a de Marilyn Monroe. A modelo americana foi um choque térmico, e dai pra frente estabeleceu-se um novo padrão que foi variando durante os anos e resultou na obsessão pela magreza que vivemos hoje. Mas as modelos plus sizes estão ganhando espaço e atenção.

Adele é um ícone em ascensão e já é modelo para muitas mulheres. O bom disso é que com o surgimento de mais ícones pop bem resolvidos com seu corpo “diferente” inspirando pessoas, vamos nos acostumar com a diversidade.

Quem sabe um dia nem vai ser notícia uma plus size estar na capa de uma revista como a Vogue. Não tem nada de errado em ter um corpo Victoria Beckham, muito pelo contrário. Não tem nada errado com corpo nenhum! Minha esperança não é que as curvas virem o novo padrão de beleza, mas que desistam de vez da idéia que precisamos de qualquer padrão para a beleza.

Fotos: Reprodução

Veja mais de

Matérias Parecidas